Renutra - Consultoria em Nutrição de Vida
1

MATÉRIA


NUTRIÇÃO E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O TRATAMENTO DA INFERTILIDADE MASCULINA





Matéria inclusa por Juliana Morais
Em Harvard, um estudo demonstrou que o consumo frequente de carnes processadas foi associado a uma menor qualidade do esperma masculino.

O estudo evidencia que o consumo de alimentos com ácidos docosahexaenóico (DHA) e ácido eicosapentaenóico (EPA) = alimentos ricos em Omega 3, como os peixes de águas frias e profundas, melhoram a qualidade dos espermatozoides.

Já é consenso na literatura cientifica que o consumo frequente de Omega 3 interfere na composição das membranas celulares, melhorando a comunicação intra e extra celular fundamentais para que nossas células exerçam suas função metabólicas, incluindo os espermatozoides.

O consumo de alimentos processadas com grandes quantidades de gorduras saturadas, conservantes e hormônios interferem na qualidade do esperma, pois aumentam a quantidade de espécies reativas de oxigênio, que são moléculas degenerativas, decorrentes do estresse oxidativo.

O estresse oxidativo é o resultado do desequilíbrio entre as espécies reativas de oxigênio e as substâncias antioxidantes. E quando isso ocorre, ao mesmo tempo em que as quantidades de antioxidantes naturais do esperma estão diminuídas, as espécies reativas de oxigênio da própria célula acabam provocando danos e disfunções nos espermatozoides, (Jensen et al,2011), contribuindo para infertilidade.

Não basta diminuir o consumo da carne vermelha, precisa-se aprender a se alimentar, nosso organismo necessita de nutrientes o tempo todo. O homem em tratamento deverá mudar seu estilo de vida, procurar orientação profissional de um nutricionista para fazer o planejamento alimentar, totalmente individualizado para as suas necessidades bioquímicas.

Neste estudo aqueles que consumiam mais peixes apresentaram um esperma de melhor qualidade. A hipótese que sustenta este achado é a de que o ômega-3 por fazer parte estrutural das membranas plasmáticas das células, acaba por conceder ao espermatozoide mais resistência e maleabilidade, essenciais para perpetuação da espécie. Em outro estudo da Human Reproduction, foi evidenciado a interferência da quantidade e o tipo de gorduras com qualidade do esperma produzido. Os resultados sugerem, ainda, que a alta ingestão de ácidos graxos omega 3, encontrados nos peixes e óleos vegetais poliinsaturados presentes no óleo de linhaça, na semente de chia, chia e castanhas, está ligado a uma maior concentração de espermatozóides.

Outro estudo publicado na revista Biology of Reproduction demonstrou que o acrossoma localizado na região frontal da cabeça do espermatozoide, contem enzimas essenciais à sua penetração no óvulo e à fertilização é dependente do ácido docosahexaenóico – ómega 3 do peixe(DHA), essencial para a formação dessa estrutura.

As causas da infertilidade masculina ainda não estão completamente claras e novos estudos devem ser realizados. No entanto, a hipótese mais estudada se relaciona com estresse oxidativo, já citado acima, e a exposição á contaminantes ambientais. O estresse oxidativo seminal precipita uma grande variedade de patologias, como a oligospermia (baixa concentração de espermatozoide), astenospermia (diminuição da mobilidade dos espermatozoides) e teratospermia (alteração na morfologia dos espermatozoides. Essa patologias estão associadas a infertilidade masculina.

Sendo assim, o tratamento nutricional da infertilidade começa com a retirada dos alimentos extremamente artificiais, redução da gordura saturada e da carne vermelha recuperação da membrana intestinal através da suplementação de lactobacilos, garantindo a melhora da absorção dos antioxidantes, capazes de diminuir a ação dos radicais livres, reduzindo assim o estresse oxidativo. Deve-se ainda aumentar o consumo de grãos integrais, folhas escuras, castanha do Brasil, peixes e frutos do mar, frutas. Para alguns será importante a suplementação de zinco, selênio, vitamina E, vitamina C, manganês, coenzima Q 10, aminoácidos e ômega 3.




Fonte: http://news.harvard.edu/gazette/story/newsplus/less-processed-meat-more-fish-exercise-may-boost-sperm-count-quality/
1

 

Inovando Sìtes